Correios cobrarão R$ 15 de todas as encomendas internacionais

Correios cobrarão R$ 15 de todas as encomendas internacionais Cobrança do despacho postal começou na segunda-feira (27). Consumidores que estiverem aguardando encomendas internacionais devem entrar no site dos Correios e fazer o pagamento. Os Correios começaram na segunda-feira (27) a cobrança de R$ 15 de todas as encomendas internacionais que chegarem ao Brasil pela empresa. A tarifa refere-se à cobrança do despacho postal. Até a mudança, o despacho postal só era cobrado de objetos tributados pela Receita Federal, mas segundo a estatal, o aumento das importações obrigou os Correios a cobrarem de todas as encomendas para manter “o padrão do serviço”. A tarifa visa cobrir custos com serviço de tratamento da encomenda (como o recebimento dos objetos), inspeção por raio X, formalização da importação, disponibilização de informações ao importador para liberação da encomenda via internet, entre outras operações. Ainda segundo os Correios, os destinatários que estiverem aguardando encomendas do exterior devem acessar o rastreamento de objetos no site dos Correios e fazer o pagamento do despacho postal por boleto ou cartão de crédito para liberarem a entrega da encomenda. O prazo para entrega passa a contar a partir da data de confirmação do pagamento. =================================== Minha humilde opinião sobre os Correios. Empresa mau gerenciada, aparelhada pelo Estado com cargos políticos, sindicatos mandando e desmandando utilizando a empresa como massa de manobra. Deveria ser privatizado com urgência. Contudo penso positivo para o e-commerce nacional cobranças extras nas importações. Mercados como da China tem introduzido no Brasil milhares de produtos sem impostos prejudicando enormemente […]

Leia Mais

Lei Geral de Proteção de Dados no e-commerce 13.709/18

Lei Geral de Proteção de Dados no e-commerce 13.709/18 No dia 14 de agosto de 2018, foi publicada a Lei 13.709/18, mais conhecida como Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que passou a disciplinar o tratamento de dados pessoais no Brasil. De acordo com a LGPD, a utilização de dados pessoais não poderá ser feita de maneira indiscriminada, sendo essencial que o cliente seja informado sobre quais dados pessoais serão recolhidos, e qual a finalidade da atividade envolvendo os seus dados, entre outras obrigações. Com essas mudanças, é necessária uma adaptação das empresas à essas novas normas e isso fará com que diversas operações ligadas ao e-commerce sofram alterações. A lei estabelece que para qualquer pessoa, física ou jurídica, possa exercer atividades relacionadas ao tratamento de dados pessoais – seja coletar, transmitir ou processar -, deverá possuir uma base legal presente na norma, que justifique a posse e o tratamento desses dados. Sem uma base legal, a prática de coleta de dados pessoais será considerada irregular. Aquela que certamente será a mais utilizada por parte das organizações é o consentimento, também chamado de opt-in no e-commerce. Mas não bastará apenas colher o consentimento; será necessário informar de maneira clara e detalhada ao cliente o motivo pelo qual os seus dados serão tratados, e isso certamente fará com que a Política de Privacidade de muitos sites seja alterada. Em alguns casos, será necessário a renovação do consentimento, como por exemplo, quando há mudanças no modo de tratamento ou quando os […]

Leia Mais

Plataforma de inteligência artificial otimiza relacionamento com clientes

Plataforma de inteligência artificial otimiza relacionamento com clientes Quando lemos “Plataforma de inteligência artificial otimiza relacionamento com clientes”, imediatamente me veio em mente o livro A Origem, o último de famoso escritor Dan Brown.  No livro ele narra uma cena onde centenas de convidados estão passeando pelo museu e cada visitante tem um fone de ouvida com um guia que lhe auxilia. Cada guia conhece as preferências e foi devidamente escolhido desde o tom da voz, sotaque para trazer mais conforto e empatia com o visitante.  Porém o guia nada mais era que um computador, com voz artificial “perfeita”, um mesmo computador atendendo centena de visitantes e conversando com eles simultaneamente em vários idiomas, sotaques e conhecendo as preferências de cada visitante. Isso é realmente inteligência artificial otimizada para se relacionar com os clientes. Hoje cedo estava lendo um artigo em um portal de T.I.: “Kami fala e escreve ao mesmo tempo com a mesma base de conhecimento e pode assumir diferentes sotaques, trocando também o gênero e o tom de voz. Além disso, funciona com um sistema personalizado, que customiza a inteligência e seus scripts durante todo o processo de relacionamento com o cliente. Única no mercado, a plataforma de inteligência artificial cognitiva é a aposta da empresa de canais de relacionamento PG Mais e teve investimento de R$ 4 milhões. Hoje, a Kami já está pronta para trabalhar com cobrança, pesquisas e até prestar suporte técnico para a área do varejo. Segundo Gastão, a tecnologia se destaca pela […]

Leia Mais

A miopia do e-commerce no Brasil

A miopia do e-commerce no Brasil Recentemente, tive a oportunidade de ler o texto “A Miopia do Marketing”, do professor de Harvard Theodore Levitt. O texto é um clássico e foi publicado em agosto de 1960. Nele, o autor discorre sobre como algumas empresas da época tiveram visão curta e que limitaram a longevidade e o potencial dos seus negócios. Dentre vários exemplos apresentados, o texto cita a dificuldade das empresas ferroviárias, que, na época, estavam perdendo mercado com advento do crescimento de outras modalidades de transporte, como automóveis, caminhões e aviões. A principal crítica do autor é que estas empresas se tornaram obsoletas por acreditarem que eram apenas “ferroviárias” e não uma empresa de transporte. Abaixo, uma pequena passagem direto da fonte do texto de Leviit: “…As estradas de ferro não pararam de desenvolver-se porque se reduziu a necessidade de transporte de passageiros e carga. Isso aumentou. As ferrovias estão presentemente em dificuldades não porque essa necessidade passou a ser atendida por outros mas sim porque não foi atendida pelas próprias estradas de ferro. Elas deixaram que outros lhes tirassem seus clientes por se considerarem empresas ferroviárias, em vez de companhias de transporte. A razão pela qual erraram na definição de seu ramo foi estarem com o espírito voltado para o setor ferroviário e não para o setor de transportes; preocupavam-se com o produto em vez de se preocuparem com o cliente”. É incrível como é possível atrelar esta mesma miopia ao mercado de comércio eletrônico no Brasil. O […]

Leia Mais

Crescimento do OLX e a queda do Mercado Livre

Crescimento do OLX e a queda do Mercado Livre O enorme crescimento do OLX e a queda do Mercado Livre, muito em decorrência das novas políticas comerciais do Mercado Livre, que empurram uma grande massa de vendedores e compradores para a OLX. O até então líder de mercado, o Mercado Livre está adotando políticas comerciais que oneram enormemente as vendas. Com comissões na casa de 16% mais cobrança de R$ 5,00 por item vendido e preço mínimo de R$ 6,00 estão afastando inúmeros vendedores e compradores do Mercado Livre. Em consequência disso, a Schibsted, grupo norueguês que detém 50% de participação da OLX Brasil, comemora mais um trimestre de bons resultados. A receita cresceu 6%, para US$ 565 milhões, enquanto o EBITDA cresceu 29%, para US$ 110 milhões. “O nosso desenvolvimento continuou positivo no segundo trimestre, com o melhor resultado EBITDA da história. Ao mesmo tempo, reduzimos os nossos investimentos de capital e aumentamos o nosso fluxo de caixa”, afirma o CEO da empresa Rolv Erik Ryssdal. Ryssdal pontuou que a companhia continuou, como planejado, a crescer na divisão de Marketplaces, alcançando uma receita 16% maior do que no segundo trimestre do ano passado, com um crescimento EBITDA de 33%. “As verticais profissionais são os nossos principais fatores de crescimento e nossos mercados-chave – França, Noruega, Espanha e Brasil – contribuíram para a conquista. Hoje, as perdas na fase de investimento diminuíram drasticamente”, conclui o CEO. Os diretores da OLX devem estar muito satisfeitos com as políticas empregadas pelo Mercado […]

Leia Mais